Pasta & Pizza/Injera & Kitfo em Adis Abeba

A experiência de comer na Etiópia tem se mostrado das mais interessantes. Capital diplomática da África, sede da União Africana, Adis Abeba conta com mais de 100 embaixadas (fora os incontáveis organismos e ONGs internacionais presentes no país). Talvez seja por isso que existam tantas opções de restaurantes, tais como coreano, chinês, iemenita, sudanês, português, libanês, indiano, alemão, dentre outros.

No entanto, duas culinárias merecem destaque: a italiana e a etíope. Parece incrível, mas o curto período de ocupação italiana na Etiópia (1936-1941) deixou marcas até hoje. Na culinária não foi diferente. As massas e as pizzas – que, por aqui, são servidas, preferencialmente, no almoço – são fantásticas, podendo fazer frente às melhores pizzarias e cantinas de São Paulo.

Mas para quem procura algo exótico, a culinária etíope é a opção certa. Orgulho nacional, a comida etíope é única. A injera é o “arroz com feijão etíope” e nunca pode faltar à mesa. Feita do tefe (grão que só existe por aqui e que cresce a partir de 2.000m de altitude), ela tem uma coloração acinzentada e vem enrolada como se fosse uma toalha de rosto. Devo admitir que, a primeira vez que comi injera, não gostei. Imaginava que fosse que nem nosso pão, mas ela mostrou-se azeda demais. Acabei ficando decepcionado, pois a ideia utópica de que chegaria ao país e começaria a viver e comer como os locais já começava a encontrar dificuldades. Mas aprendi com os etíopes que a injera não te conquista no primeiro encontro: ela começa a fazer parte da sua vida aos poucos e, quando menos se espera, você já não consegue viver sem ela.

Após ser conquistado pela injera, decidi dar um passo adiante e experimentar outra iguaria nacional: o kitfo. Os pratos de carne crua são considerados as iguarias mais nobres da cozinha etíope. E era chegada a hora de prová-los. Alguns estrangeiros não se arriscam a experimentar, afinal, os açougues etíopes não apresentam refrigeração e a carne fica exposta quase a céu aberto. Mas seguindo as máximas (i) “só se é jovem uma vez”; (ii) “só vá comer carne crua com um etíope que conhece a procedência da mesma”; e (iii) “um vermífugo poder resolver qualquer eventual problema futuro”, lá fui eu.

O kitfo é feito de carne bovina crua misturada com diversas especiarias e pimentas. Pega-se um pedaço de injera e envolve-se o kitfo. Experimentei e… não é que o gosto é bom? E para acompanhar tudo isso, nada com um tej, vinho de mel, bem mais fraco que nossa cachaça.

Conquistado pelo kitfo, agora o próximo passo será o tera sega (prato mais nobre da culinária local, servido em casamentos principalmente). Imaginem dirigir-se ao balcão onde jaz uma carcaça de boi recém-abatido e você aponta que parte dele você prefere. O garçom corta e põe o bifão de carne crua no seu prato. Nem pense em procurar uma churrasqueira, porque não vai achar. O máximo que haverá será um molhinho de pimenta para acompanhar a iguaria. Bom, desejem-me sorte!

Anúncios

Sobre Marcelo A. Borges

Paulistano, franciscano, corredor e diplomata. Na Etiópia.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , . Guardar link permanente.

11 respostas para Pasta & Pizza/Injera & Kitfo em Adis Abeba

  1. mariana disse:

    Tive a chance de experimentei a culinária etíope com meu marido qdo fui a Washington, no restaurante Zed´s e foi muito legal…achei interessante exatamente por causa do “pão” q vem enroladinho q vc mencionou – injera…se não me engano, a gente teve q comer c a mão, pegando o pão e passando na comida…provar as comidas dos países é uma das boas coisas da vida…parabéns pelo post!

  2. Tive esta experiência em Nova Yorque. A princípio estranhei por ter que comer com as mãos e tive que pedir a garçonete para mostrar-me. Gostei das informações. Quem sabe adicionar os nomes e endereços dos lugares mencionados que certamente serão bastante úteis para quem gosta de viajar e experimentar a culinária. De qualquer modo estou colecionando as dicas na minha pasta de “viagens”.

  3. Maurício disse:

    Borges, você vai comer boi cru? Tumor bem que você tá na áfrica, mas é dureza comer como os animais… Se bem que a gente come direto peixe cru e não fica pensando nisso… Bacana o relato, vou contar pro irdo. Abs

  4. Maurício Chavenco disse:

    Quem diria, Borges: da culinária vegetariana para a carne crua com especiariais… Continue escrevendo!

  5. Josiane disse:

    Ótimo post, Marcelo! Muito interessante conhecer um pouco da culinária de Adis Abeba. Boa sorte com o tera sega!

  6. Fotogênico esse kitfo! Abriu o apetite. São muito picantes as especiarias e temperos etíopes, Borges?

  7. Nishi disse:

    Tipo, esse kitfo é uma espécie de steak tartar? Ajuda a correr mais rápido? Ou o segredo dos Hailes, Kekenisas e Abebes é a injera mesmo?

  8. Ana Paula Ribeiro disse:

    Incrível ! . Mau posso esperar para chegar á Etiópia. Quanto as duvidas sobre o kitfo, bem… mais arriscado que um bom churrasco grego paulista,não pode ser.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s