Onde os dois Nilos se encontram

Esqueci de dizer: em Cartum também há o Nilo. Ou os Nilos. Pois são dois, os rios.

Seus maiores afluentes, um deles vindo da região dos grandes lagos, na África Central, e o outro da Etiópia, encontram-se em Cartum para dar origem ao mítico rio que conhecemos. Nascido da união entre o etíope Nilo Azul e o continental Nilo Branco, o rio Nilo surge numa região chamada de “Mogram” pelos sudaneses. Sua mistura de cores lembra a dos brasileiros Negro e Solimões.

O “Mogram” respira história. Foi às suas margens que, em fins do século XIX, um exército composto por milhares de soldados vindos do interior do Sudão acampou calmamente, esperando a baixa das águas e a oportunidade para tomar Cartum, então governada pelos ingleses. Poucos anos depois, também às suas margens, um jovem jornalista e correspondente de guerra chamado Winston Churchill escreveu o relato da reconquista da capital.

“The river war”, o livro que Churchill escreveria sobre o embate entre ingleses e sudaneses, tem sido comparado por muitos ao nosso “Os sertões”. Seu tema é o mesmo: o choque entre duas civilizações e formas de ver o mundo. Mas essa é outra história.

 Voltemos ao rio.

Nascido neste “Mogram”, o Nilo iniciará sua jornada pelo deserto rumo ao Norte, ao Egito. O degelo das neves nos montes da África central lhe trará, a cada ano, mais água, mais vida: o ciclo das águas alimenta uma civilização milenar, florescida ao longo de seu curso e marcada por imagens que se tornaram verdadeiros ícones: as pirâmides, as enchentes, o plantio e a colheita do papiro.

Atravessando a região conhecida como “Sahel”, onde se encontra Cartum; singrando os desertos do norte do Sudão; cruzando a fronteira com o Egito, desembocando no lago Nasser, para depois renascer e atravessar cidades como Assuã, Luxor, Cairo e Alexandria, onde desaguará no Mar Mediterrâneo, o rio que nasce no “Mogram” a quarenta minutos de minha casa é uma síntese dos muitos mundos que compõem este universo chamado África.

Anúncios

Sobre krishnamonteiro

Diplomata brasileiro servindo no Sudão.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado . Guardar link permanente.

7 respostas para Onde os dois Nilos se encontram

  1. Regina disse:

    Lindíssima a segunda foto!

  2. Karla disse:

    A segunda foto parece de Florianópolis… 🙂

  3. Pedro Arthur disse:

    Fantástico

  4. Que fotos bonitas. Parabéns.

  5. Belíssimo, Krishna!

  6. Daniel disse:

    Adorei. Ja leu o artigo lost in the sahel da National Geographic? Acho que vc vai gostar!

    http://articlesmaterials.blogspot.com/2009/09/lost-in-sahel-national-geographic-april.html

  7. Pingback: Sul 21 » Sudão do Sul

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s