Rasheed

“Ten pounds”, diz o motorista do microônibus quando lhe pergunto o preço de uma corrida de meu hotel até a Nile Road, avenida principal de Cartum. Acostumado a complexas negociações com taxistas por todo o mundo, surpreendo-me com a honestidade do homem – na verdade um rapaz de vinte e poucos anos, rosto sereno, olhos de intelectual a me fitar por trás dos óculos de aro fino.

Entro no carro e, poucos minutos depois, a pergunta inevitável: “Where are you from?”. “From Brazil”, digo, esperando a velha – e agradável na opinião deste Flamenguista – conversa sobre futebol. Surpreendo-me porém com a sinceridade do motorista, que me olha com um jeito ingênuo e diz: “Onde afinal fica esse país?”

“Essa conversa será diferente”, penso comigo.

O ônibus minúsculo serpenteia pelas vielas empoeiradas da capital do Sudão. Entre uma e outra buzina, em meio ao assédio de vendedores de frutas e ao corre-corre da hora do rush, fico sabendo o nome do rapaz: Rasheed, um jovem pedagogo recém-formado pela Universidade de Cartum, que das sete às onze da manhã trabalha como professor em uma escola secundária e, após o fim do expediente, começa a dirigir seu microônibus. “Para aumentar minha renda”, ele diz.

Seguimos adiante. Passamos por cruzamentos e longas avenidas. O professor discorre sobre o funcionamento do vestibular no Sudão, os cursinhos preparatórios, o mestre americano – Mr. Smith – que, ao longo de três anos, ensinou-lhe inglês. Fala também com orgulho sobre o mais novo curso universitário inaugurado em sua cidade: psicanálise, com aulas em inglês e árabe.

Quando chegamos ao destino final à beira do Nilo, sinto que tenho diante de mim uma ponte entre minha cultura ocidental e o Islã. Anoto o celular de Rasheed e combino ligar outro dia para fazermos outras corridas por Cartum e pelo Sudão. “A qualquer hora, em qualquer lugar”, ele diz. “Isto é, depois das 11h00, quando termino meu expediente na escola”, completa sorrindo.

Anoitece em Cartum.

Anúncios

Sobre krishnamonteiro

Diplomata brasileiro servindo no Sudão.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado . Guardar link permanente.

6 respostas para Rasheed

  1. Josiane disse:

    Belo post, Krishna!
    Bem legal conhecer o mundo por uma outra visão. Adoro o blog de vocês!

  2. Gosto muito do humanismo dos seus posts, Krishna! Lembra alguns contos do Tagore…

  3. Escreve muito bem Krishna. Se me permite perguntar, é formado em quê?

  4. Marcus disse:

    Como estão as espectativas para o evento de 9 de julho? Há esperanças de diminuição da violência entre norte e sul? Abraços,

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s